Curiosidades

Conforme narração do historiador romano Plínio, o vidro foi descoberto acidentalmente, graças a alguns mercadores fenícios que o introduziram por volta do ano 5000 a.C. Navegando pelo Rio Belo, na Síria, um navio de carga fenício transportava blocos de nitrato de sódio.

 

Em certo momento a tripulação resolveu aportar em uma praia, para descansar e se alimentar. Desembarcados, então, acenderam um fogão improvisado utilizando alguns blocos do nitrato de sódio para apoiar as panelas.

 

O “natrão” (nitrato de sódio) fundiu-se com a areia da praia pelo calor do fogo. Originou um novo líquido transparente formado dessa mistura.

 

Os romanos contribuíram muito, por volta do ano 100 a.C., para o desenvolvimento das indústrias do vidro. Iniciaram a produção de vidro por sopro dentro de moldes, aumentando em muito, a possibilidade de fabricação em série das manufaturas. Eles foram os primeiros a usar o vidro para janelas.

 

Além do método de fabricação, o vidro , é uma solução sólida resultante da solidificação progressiva, sem traços de cristalização, de misturas homogêneas em fusão, formadas principalmente por sílica, soda e cal.

 

Composição do Vidro
 
composicao-vidroO vidro é uma substância inorgânica, homogênea e amorfa, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão constituída por; Areia, Calcário, Dolomita, Feldspato, Barrilha, Sulfato de sódio e sucata de vidro. Suas principais características são a transparência/ translucidez, a dureza e a capacidade de reciclagem total.

 

Vidro Float: O vidro float , é assim chamado pelo fato sua massa, ainda incandescente, ao sair do forno de fusão da matéria, passar por um reservatório com estanho líquido, material cinco vezes mais denso que o vidro, fazendo com que este flutue, possibilitando assim que as faces da chapa de vidro float fiquem paralelas, eliminando qualquer distorção ótica.

 

Vidro impresso:O vidro impresso é um vidro plano translúcido, incolor ou colorido, que recebe a impressão de uma textura quando está saindo do forno, através de rolos desenhados.

 

Areia: Constituída praticamente de sílica (SiO2), que é a base da grande maioria dos vidros. Pode ser retirada de praias tanto do mar como de rios, ou de jazidas situadas em vales onde se acumularam através dos tempos. Fornece o óxido de silício.

 

Calcário: É uma rocha constituída de carbonato de cálcio (CaCO3), que é extraída, britada e moída, até a obtenção da granulometria desejada. Fornece o óxido de cálcio (CaO) ao vidro.

 

Dolomita: Da mesma família do calcário, porém, sua formulação é constituída de um carbonato duplo de cálcio e magnésio.

 

Feldspato: É um mineral constituído de um alumino silicato de sódio e potássio Kna (AlSi3O8). A razão de sua utilização é pelo óxido de alumínio ou alumina (Al2O3).

 

Barrilha: Ou carbonato de sódio (Na2CO3) é o principal fornecedor de óxido de sódio.

 

Embora seu percentual em peso não seja tão grande, representa o maior custo entre as matérias-primas dos vidros sodo-cálcicos. Podemos dizer que 60% do custo de uma composição é devido à barrilha.

 

Sulfato de Sódio: Composto industrializado (Na2SO4), utilizado como afinante, pois tem como característica, a altas temperaturas, liberar grandes bolhas e de maneira violenta, incorporando a ela as pequenas bolhas contidas na massa do vidro provocada pela reação das outras matérias-primas.

 

Caco de Vidro: Utilizado em praticamente todas as indústrias de vidro, pois além de 100% recicláveis, diminuem o consumo energético, aumentam a capacidade de extração e também aumentam a vida útil dos fornos.

×